domingo, 2 de dezembro de 2012

À Mesa, Humanidade, Poemas e Camaradas





Escrevo em silêncio acidentado
E minha mão sangra atravessando ruínas e mares
Os caminhos são provisórios!
Meu cômodo está repleto de delicadezas
Vultos dos poetas sentam-se a mesma mesa em que chamo os versos
E todos tão belos e geniais pra mim, todos tão irmãos do mesmo útero
Lá estamos nós, no irresistível momento de guerra e delírio,
E os espíritos bebem juntos, cingindo multidões
Que amamos tão apenas pelo amor
E não por serem brutos ou civilizados

Ah, esse prélio de gozo e dor é ato sublime!
Penso com certo alívio, com quase alegria,
Pois há sempre ingerência de uma solidão austera e melancólica
Contento-me! Que seja assim, a vida pesando-me
Humanidade sobre os ombros curvados,
As misérias do mundo comprimindo meu peito esquerdo,
Se os olhos podem alcançar a melodia do universo

Meus amigos, esses estranhos que não cresceram comigo
E que amo desde que os vi em algum lugar da juventude,
Me garantem as palavras, o que sou, ainda que nada me pertença,
Ainda que o ser não seja definitivo nem concreto como são os poemas,
Espíritos imperfeitos que buscam vozes numa finitude anunciada
Sigamos nessas canções, meus camaradas!
Enquanto houver compaixão e vigor,
Tuas sombras sobre meus ouvidos,
Gritando os relâmpagos de um céu universal

7 comentários:

Janice Adja disse...

Palmas!!!!!

Assis Freitas disse...

que conjunção esta, constelação


beijo

Tania regina Contreiras disse...

Tu sabe...cada poeta que me agrada tem uma marca diferente, mas que é minha. Ninguém canta a imperfeição tão lindamente, tão respeitosamente, tão visceralmente como tu. Te ler me alivia e encanta. Nem todos os gritos saem pela garganta, alguns precisam de corte, de pele sangrando...e aí são versos cheios de vida, por isso absolutamente arrebatadores. Contigo aprendo a gritar pelos cortes na pele! Não há boca, há talhos...
Beijos,

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

O que dizer deste poema que grita em cada palavra...Digo apenas que te admiro imenso.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

dade amorim disse...

Teu jeito de fazer poesia é quase sempre uma lição.

Bj bj

Tatiana disse...

uau! falu e disse, Tânia! A descriçao do talento de Ira não poderia ter sido melhor. Assino junto. Beijo procês!

Tatiana disse...

Ira, teu silêncio acidentado é muito, muito poeticamente rico. Vá em frente!
bjo