quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Tecido sem Urgências para Aniversário Veloz



"A tragédia da vida não está na morte nem na velhice, o que desgraça o homem é a decrepitude do espírito que o impede de ser livre "


A pele franca, após sepultamento do sangue,
Não reverbera mais o som das belezas
- guizos enervados dourados risonhos
Uma ou outra voz louca se espicha,
Sem crueldade, saída dos poros lúcidos
E diz: that`s the way ah há, ah há, i like it

Indisciplinada, de forma justa,
Sustenta imperfeições perfeitas
Sobre o tecido rasco. Pérolas!
Brancas, outras pardas,
Coleções de prosas
Miudezas da vida que se leva

O vento a toca em silêncio
 – ele sabe!
Onde tudo está dormindo serenamente
Onde o tempo já ignorou a própria voz
É que há nessas horas íntimas
Muito respeito entre os segredos

Hoje é mais um dia sem fúria,
A pele está lavada com água dos olhos,
Os pecados mataram-se de exaustão
Ah, esse tecido- carne fêmea, rio de profundezas!
Sobre a superfície plácida veleiros enxergam cardumes mortos
Enquanto que, imerso até os dentes, algum organismo libertário urdi



6 comentários:

Tania regina Contreiras disse...


Queridona, o aniversário é teu e encontramos aqui um presente-poema pra nós! Ah, esses encontros chamados de virtuais! Ira, de virtual não há nada em você; você se faz próxima...Mais do que isso: se faz gente, carne, vísceras, contradições e assimetrias humanas que a mostram a beleza rara de um ser que amei encontrar. Um novo ciclo cheio de vida, de sangue, de descobertas, de encantos, de poesia, minha amiga! Feliz aniversário. Eu vibro com o coração para que seus dias sejam dias de muitas e belas emoções! Parabéns!

Assis Freitas disse...

p.s.

desses tecidos tortos
cujas carnes são vozes
me consome atroz
teu poema feroz




beijo

Joelma B. disse...

Teu poemaço inspirando meu presente pra você:


Iracema


hoje
é mais um dia de Ira

sobre seu tecido nato
tem a fuligem pura
dos pecados mortos

e tem poção de fêmea
que logra o tempo
com fulgurações de camaleão

(Joelma B.)

Parabéns, querida brilhantíssima!

Beijos meus!
<3

Ana Cecilia Romeu disse...

Ira, minha linda aquariana!
Belo poema!

Não sou poeta, minha flor, e vou reproduzir aqui o que te deixei lá no faceb. tá bom?

Eis aqui:

Feliz aniversário, minha linda aquariana Iracema Buscacio!
Se o mundo fosse assim da tua cara Ira, as pessoas seriam mais livres, amaríamos mais, sentiríamos menos medo. Viver seria assim, como beber em roda de amigos, mil vezes melhor e simplesmente: Ira!

Um beijão gaúcho com toda minha admiração por ti, e te deixo meu muso maior de presente, sei que gostas também.

.....
por lá, deixei a fotinho, por aqui, uma música do muso.
Beijos e muitos anos mais regados a Mu-Mu! hehe

Amo esta versão, espero que você goste também:

http://www.youtube.com/watch?v=ZpZCuu1DVPE

jorge pimenta disse...

aniversário teu faço-o cada regresso meu às palavras com que diariamente, aqui, me concedes nuvens de veludo a escalar o peito.

beijo-te as mãos, aniversariante-com-lava-na-voz!

dade amorim disse...

Gosto sempre de teus poemas, mesmo assim, ferozes, como dia o Assis.
"Algum organismo libertário urdi" é incrível!

Beijo, linda!