sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Algumas Antecipações são Paisagens





É prematuro, não afoito, dizer-te o quanto, e tanto,
Odiaria qualquer fineza da minha carne
Junto a tua
Necessito de mais tempo e distância
Para ampliar minha devassidão,
Minha repugnância por cortesias
É preciso aprofundar-me nessa ambição
De paixão, tão externa e concreta,
Até que nada teu seja conhecido
E, assim, somente no alheio,
Tua existência se faça real e não íntima
É prematura e, depravadamente, carnal
A palavra que, neste instante de abandono, te arranho a pele,
Porém não me descontentam as indisciplinas
Eu não sou, homem estranho, a mulher
Que te ajeitou o colarinho limpo,
Mas a que em febre vive a idéia de ti
E queima teus lábios com fantasias perfeitas
Nada, além deste meu espírito inescrupuloso,
Leva-me ao mais profundo cômodo,
Este, cheio de teias,
Onde tudo é essencialmente volúpia

9 comentários:

Jorge Pimenta disse...

prematuro, precoce, inexato, impreciso ou mesmo excessivo quando falamos da seta e do alvo; há tanto em que que não deve, não pode adiar-se, sob pena de se fazer nunca ou tarde de mais.

textaço, querida amiga! beijos!

Marcia Morais disse...

Que Maravilha amiga,quanto energia,e veracidade ,quanta certeza ,quanta necessidade de amplidão,ameiii !

Dilmar Gomes disse...

Amiga Ira, passando por aqui para deixar o meu abraço.
Tenhas um lindo fim de semana

Tania regina Contreiras disse...


Nossa, que poema maravilhoooooso! Adorei essa oposição entre "íntimo" e "real"! Frediando: fo-dás-ti-co!

beijos, poeta!!

Assis Freitas disse...

caraca

demais



beijo

Domingos Barroso disse...

das ardências
todo o fogo
...


beijo carinhoso,
Ira...

dade amorim disse...

Este poema, tão explícito e claro, parece uma defesa, uma fuga do que seria pura volúpia.

Bonito e expressivo, Ira.

Beijo

Marco Rocca disse...

Belo poema! Deixei por anos de depositar no "outro", o complemento de minha existência. Não deposito. Peregrinamente deposito o futuro as incertezas que surgirão. Nada mais... Lindo poema amiga!

Américo do Sul disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.