quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Lavanderia





Não leve a sério o que penso e não conto
Tudo é breve
Nada está pronto!

Nem tente se embriagar pra me deixar tonta
Tudo é aparente
Faz-de-conta!

Leve-me a mal e passe bem
Lave-me dos teus dentes limpinhos
E vá catar mil coquinhos,
Lá, na linha daquele trem


Pronúncias serão inventadas
Desatadas dos teus culhões
Outras palavras, feições
Ah, essas meninas levadas!

8 comentários:

LauraAlberto disse...

vá-se
e
ponto final

beijinho

Cris de Souza disse...

Você é foda! É sério que me fez sorrir...

Adorei a façanha, levada que sou.

Beijão, poeta irada*

Carolina disse...

Jiji!

Tenha um lindo dia, querida amiga.

http://upload-pics.org/images/40574069280472888541.jpg

Adri Aleixo disse...

Uau!!!

Beijo, Ira :)

Lily disse...


Simplesmente, ótimo! Serviu-me direitinho, hoje.

Está lá no FB.

Beijos!

Suzana Guimarães, a Lily

Tatiana disse...

Ira, querida, vocÊ é dessas que conhece bem o "botão do foda-se" e sabe apertá-lo sempre que preciso, não é não?
beijo

eurico portugal disse...

trocas e trocadilhos para cada equívoco e murmúrio quase-verdade. porque há tanto que se pensa e se não diz, bem ali, nos lugares onde se soltam cabelos e se lavam cornos, ali, lambem-se coxas e descasca-se a pele, justamente ali, onde teia, essa, permanece sempre cheia de visitantes incautos, à mercê do predador. foda-se.

beijos, amiga!

Cissa Romeu disse...

O que levou
levada
lavou.

Ira, beijos muitos!