sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Vermelho





Dos homens
Tiraram-lhes as peles
Todos são vermelhos!

Dos homens
Deceparam-lhes os sexos
Todos são vermelhos!

Dos homens
Mataram-lhes os deuses
Todos são vermelhos!

Dos homens
Surrupiaram-lhes os metais
Todos são vermelhos!

Dos homens,
Todos vermelhos
Dissecaram-lhes os cérebros
E encontraram pássaros

11 comentários:

AC disse...

Pobres homens, careciam de passarinhas. :)
(Perdoe-me o humor rasca, Ira)

Beijo :)

Ira Buscacio disse...

Ac, querido, vc pode! Tem lastro pra isso...
Olha que tinha colocado corcéis, na origem, mas pensei depois em pássaros, mais lírico, ainda bem que nem cogitei os perus rsrs
bj, meu amigo

Janice Adja disse...

E todos os pássaros
eram vermelho.
beijos!!!

Fred Caju disse...

Do caralho! Final inesperado. Voemos, então!

Assis Freitas disse...

e os pássaros rugiam rubros dobrados,



beijo

Carolina disse...

Passaros vermelhos... e tudo de bom!
Beijinhos, tenha um lindo dia.

Cecília Romeu disse...

Porque nas entranhas existem alguém que voa.
Beijos, Ira, linda aquariana de poemas.... ufa!

Nilson Barcelli disse...

As tuas palavras até doem... fui ficando amarelo...
E o final é surpreendente.
Excelente poema, gostei muito.
Ira, querida vermelha, digo, querida amiga, bom fim de semana.
Beijo.

eurico portugal disse...

e voavam, não voavam?...

beijos, em tons de en-carn(e)-ado!

AC disse...

Ira,
Voltei, agora num tom mais sério.
É impressionante a forma como disseca o género humano, mostrando as vísceras sem pudor, constatando o seu rastejar.
Que nunca por aqui falte a inspiração, minha amiga!

Beijo :)

Tatiana disse...

Uma caixinha de surpresas!.. ;)
Bjo